27 de dezembro de 2016

Filhos

O ano está quase a acabar e é quase inevitável não pensar em várias coisas da vida. Uma delas, claro está, são os meus filhos. Que amor é este que nunca mais acaba.......
Começo por relembrar os tempos em que não havia crianças. Ser mãe nunca foi o meu maior sonho. Sempre passou pelos meus pensamentos como algo do futuro, mas não era uma coisa que eu desejasse mais do que tudo. Depois de alguns anos de casada, a ideia de ter filhos começou a ter mais sentido. Parecia que faltava alguma coisa, que estávamos incompletos. E foi aí que decidimos tentar e de repente já estávamos com o Vicente nos braços. Sem dúvida que com ele subi a uma nova dimensão. Este miúdo é sem dúvida uma fonte de aprendizagem para mim. Apesar de toda a parte menos boa que existe na maternidade (e se existe!), decidimos ir para o segundo. Veio a Inês. Traquina e tão doce princesa. Se eu achava que já não havia sossego em casa (e atenção que o Vicente é uma criança super calma, compreensiva e obediente), então com dois e com um mini furacão como a Inês, percebi realmente o que é o caos. E eu podia continuar a "queixar-me". A preocupação constante que eu tenho com eles, os ranhos que vão aparecendo e que rezo para que não passe disso, o cansaço das férias que deviam ser para descansar mas isso não existe, a atenção que os dois pedem e as birras que inventam se eu faço primeiro o mimo a este ou àquele, o ter que pensar sempre em ter comida saudável e apelativa, enfim.......podia listar um sem número de coisas. 
Mas quando eles me abraçam, me atiram beijos, se encostam a mim quando a meio da noite aparecem na minha cama, quando os vejo a brincar tão cúmplices, quando a Inês se ri ao ver o irmão, isto e muito mais dão-me o combustível que preciso para mais dias com choros, tosses, gritarias entre os dois, ementas semanais e rotinas calculadas ao milésimo de segundo. Este amor que me enche tanto o coração e que eu achava que já não crescia mais é tão inexplicável que nem eu percebo como fico cansada de ter filhos.
E agora que eu faço uma retrospetiva, penso em como a ideia que eu tinha dos filhos é tão diferente. Eu que pensava que era possível uma vida totalmente pacífica e controlável e que afinal nem sempre é bem assim. Eu que pensava ser possível adorar muito um filho e afinal o amor que se sente por ele é tão grande que se torna inexplicável.
Eu queixo-me, é certo, mas estou muito agradecida por ser mãe de duas crianças que tanto amor me dão. Obrigada!


23 de dezembro de 2016

Modelitos de Natal

Entre amarelo, azul, beringela, cinza e branco (e ainda cor de azeitona); entre Gocco, Mango, Zippy e Zara, os modelitos vão-se arranjar para a véspera de Natal e para o dia 25. Como andei a ver as lojas nesta última semana, alguns tamanhos já tinham esgotado e não vai ser o que tinha idealizado. Mas o importante é os miúdos estarem confortáveis. Mas nem tudo é mau. Praticamente tudo o que comprei estava em promoção, pelo que deu para poupar bastante.

Por aí também há quem organize pendants para estes dias de festa?!


Vestido beringela e camisa aos quadrados - Gocco
Camisola mostrada, casaco mostarda e calças cinza - Mango
Camisola azul, blusa de gola e camisa branca - Zippy
Casaco azul marinho - Zara

Christmas time

A um dia da véspera de Natal.
Por muito que me organize cada vez melhor e faça as coisas cada vez mais cedo, há sempre tempo para a azáfama desta época. São as prendas, as roupas para estes dias festivos, alguns jantares pelo meio, a logística de quem prepara o Natal em casa.....enfim, mil e uma coisas para fazer! E juntando a isto as minhas indecisões, bem....só vos posso dizer que há sempre tarefas de última hora.
As prendas para miúdos e família chegada ficaram tratadas entre outubro e novembro, pois consegui aproveitar algumas promoções e o black friday. Para os amigos mais chegados demorei a decidir-me. Queria oferecer alguma coisa diferente e não queria de todo andar atrás de presentes ideais que não existem ou são difíceis de encontrar (sobretudo quando estipulamos um valor pequeno para uma lembrança). E porque eu adoro os meus amigos e quero que eles saibam o quanto gosto deles, este ano vão receber palavras (e não posso dizer mais senão estrago a surpresa)!
As roupas para os miúdos já estão compradas, mas ainda não me decidi o que vão usar na véspera e no dia 25. Sei que nem toda a gente pensa nestas coisas (e de facto não são as mais importantes), mas gosto de pensar em conjuntos giros para estes dias de festa em família. E como nesta parte decidi tudo em cima, foi mais difícil encontrar os tamanhos para as peças que queria.
Este ano não foi possível preparar o calendário de advento, mas em contrapartida o meu marido decidiu surpreender-me com alguns presentes que me foram aparecendo em cima da secretária e nas gavetas da roupa. Um querido e um gesto tão bonito.
E entre muito frio, muitas luzinhas na rua, muita cantoria de Natal (que diga quem trabalha mesmo ao meu lado...eheheheh), muita animação em casa com os miúdos mascarados de super heróis, muitos miminhos e beijinhos, este tempo de magia passou a correr e já estamos a horas de celebrar este dia especial.

Desejo a todos um Santo Natal. Saúde, amor e harmonia. Magia e esperança. Abraços e beijinhos. E digam sempre àqueles pessoas que fazem parte da vossa vida e vos querem bem: GOSTO MUITO DE TI.