28 de maio de 2015

Ser mãe também é...

...perguntar ao Baby Boy, antes de sairmos de casa, qual o carro (dos pequenos) que vai levar. Ele pega num e vai todo contente. Já sabe que quando chegar à creche pode brincar 5 minutos e depois tem que o guardar na mochila. Hoje, estava a dar o beijinho de até logo e ele entrega-me um carro dos bombeiros......"mamã, leva este carro para mostrares à tua professora"!!!!!


P.S. - Eu peguei no carro, coloquei na minha mala e levei-o comigo.

27 de maio de 2015

32 semanas

Parece que já falta pouco e ao mesmo tempo a sensação é que ainda falta muito. Esta gravidez está a ser bem diferente e o cansaço é o meu maior inimigo no momento. As dores de costas tanto não se fazem notar como dão cabo de mim. É um dia de cada vez. Tento não perder a pouca energia que ainda tenho, mas o que é certo é que quanto menos faço menos vontade tenho de fazer. E ainda há roupinhas para arrumar, acessórios para comprar, malas para fazer......fica sempre alguma coisa em stand by.
Mais importante ainda....há outro filho, que também precisa de miminhos e muita atenção. Está cada vez mais enérgico e só gosta de brincadeiras que neste momento não são o meu forte. Corridas, bicicleta, homem-aranha a saltar e a dar pancada em tudo o que mexe. Espalha os brinquedos pelo chão e depois diz que não consegue arrumar tudo. Nunca vi a minha casa tão caótica como agora!
E a roupa com este calor (que para uma grávida estão sempre mais uns graus)?! Já esqueci os jeans de grávida, até esse aliado me incomoda. Só quero vestidos (compridos, acima do joelho,  a meio da perna, largos, justos....), calçado fresco e não vejo a hora de entrar de férias para descansar e apanhar uns banhos de sol, que tanto falta fazem e que vão ser raros depois da Baby Girl nascer.



21 de maio de 2015

Entre amigos

Atrevo-me a dizer que conheço a minha amiga R. desde sempre, mas não, foi na escola que nos encontramos pela primeira vez...e já lá vão uns 20 anos. Nestes anos todos tivemos fases em que falámos mais e outras menos, mas nunca deixámos de nos contatar e encontrar. Estivemos presentes nos momentos mais marcantes das nossas vidas e temos uma na outra a confiança e a lealdade que se quer num amigo. 
A nossa primeira gravidez foi quase simultânea e por isso também partilhamos esta experiência com muitas entreajudas e confidências, o que fortalece ainda mais a nossa amizade. Os nossos filhos conhecem-se desde que nasceram (têm apenas 2 meses de diferença) e, se no início não davam bola um ao outro, agora é com muita satisfação que os vemos brincar juntos, perguntarem um pelo outro e pedirem para se encontrarem. Não sei se vai ser uma amizade para todo o sempre, se vão ter muitos ou poucos momentos zangados, se vão comemorar muita coisa juntos. Eu espero que sim, que eles desenvolvam esta cumplicidade e que estejam sempre presentes para se apoiarem e viverem bons momentos.

Uma das melhores coisas que levamos da nossa vida também são os amigos!


20 de maio de 2015

O nome da Baby Girl é.....

A lista de nomes prováveis era extensa e não havia um que fosse "O" preferido. Eu ia mandando um palpite para aqui e o meu marido outro para ali. Queríamos ser nós a escolher, sem interferência de mais ninguém, nem mesmo do Baby Boy que dizia sempre que a maninha se chamava Mickey ou Ovo Kinder (está visto que por ele não chegaríamos a lado nenhum).
O número de pessoas a perguntar se a menina já tinha nome era cada vez maior (qual princesa de Inglaterra....), mas não queríamos ceder a essa pressão. O nome seria escolhido quando chegássemos a um consenso. 
Conseguimos encurtar a lista numa manhã de chuva e vento, sentados numa confeitaria a comer um croissant! Na verdade, nesse dia ficámos divididos entre dois nomes. Deixámos andar mais uns tempos e confesso que a ida ao hospital há uns dias atrás e o susto que esta menina nos pregou (e agora sempre em vigia para que ela fique aqui dentro até ao fim) levou-nos a tomar a decisão. 
Estava à espera que algum nome me tocasse no coração, como foi com o Vicente. Andei ali a vacilar entre a Clara, a Benedita e a Leonor, mas o certo é que não conseguia escolher e nenhum deles me dizia nada em particular. O nome que o meu marido mais gostava também estava na lista de nomes que eu gostava e por isso nem pensei mais. Se o Vicente foi uma escolha mais minha e que o pai aprovou e adorou logo, então agora ele também tinha o direito de ter a primeira palavra a dizer sobre o assunto. Às vezes é complicado termos os dois exatamente a mesma opção. O que interessa é que seja do agrado de ambos e afinal de contas (e mesmo considerando uma decisão importante) é só um nome!
A nossa Baby Girl vai chamar-se Inês :)

Passamos agora para a parte em que contámos ao Baby Boy....."filho, a maninha já tem nome....é Inês". Cara de sério "não gosto!". Mmmmmmm, ficámos a olhar um para o outro sem saber o que dizer.....!!!!! "É o nome da menina que mora ao lado da vóvó". Não que ele não goste da menina, até brincam juntos quando se vêm, mas acho que foi por já conhecer alguém com este nome que disse que não gostava. Logo de seguida diz "para mim, a maninha vai chamar-se pipoquinhas". Não sei onde este meu filho vai buscar estas coisas, mas como o nome é fofinho, ok, pode ser. Inês Pipoquinhas para a família e não se fala mais nisso :)


19 de maio de 2015

InstaGrávida

A meio das 31 semanas de gravidez, com a minha genica a diminuir, com as dores nas costas que não me largam, com o uso diário de cinta (coisa que até agora desconhecia), com o cansaço cada vez maior......mas finalmente com os dias mais solarengos e com temperaturas mais agradáveis.
Apesar de não poder fazer muitos esforços e ter que descansar sempre que possa, os passeios já não são os mesmos, pois fico rapidamente com vontade de me sentar. Até o ir à praia e ficar alapada todo o tempo numa cadeira me cansa. Mas com um filho que precisa de sair de casa, de estar com os pais e de brincar muito com os amiguinhos há que procurar os programas mais adequados. E temos conseguido, dentro do possível!
Com tudo isto só procuro roupas o mais confortáveis possíveis e que não me façam sentir presa ou incomodada. Para quem não quer investir muito em novas peças começa a ficar cada vez mais difícil. Pelo menos agora já posso ir repescar algumas coisas de verão, com mais cor e muito mais frescas.







16 de maio de 2015

A escolha do nome da Baby Girl

Assim que soubemos que era uma menina começámos a pensar em nomes. Se fosse menino estava praticamente escolhido, mas para menina não tínhamos nada pensado. Fizemos uma lista e ficámos assustados. Tannnnnntos! Nunca conseguimos um consenso, porque tínhamos sempre mais do que um favorito. Elaborámos uma short list e acho que já temos o escolhido........

Imagens retirados do Pinterest

14 de maio de 2015

As noites

As nossas noites nunca são espetaculares. De vez em quando lá vem uma em que o Baby Boy dorme seguidinho e até parece mentira. Outras é só dizer "dorme!" e ele vai ficando. Depois temos as noites em que duas vezes a ir ao quarto dele são suficientes e aquelas em que já não temos paciência e ele acaba na nossa cama. A somar a estes cenários agora tenho as "minhas " noites. Posição para dormir é complicado. Dor de costas. Insónias. Para sair de cama quase só de guindaste, tais são as manobras necessárias. Nada se recomenda por estes lados, portanto!
E como ainda me vai sobrando alguma lucidez e boa disposição, aqui ficam as nossas noites personificadas com os heróis do Baby Boy.

Noite Homem-Aranha
O Baby Boy vem para a nossa cama e só consegue dormir encostado à parede, em baixo da minha almofada e com os pés em cima do pai. Só lhe faltava trepar a parede e dormir no teto, tal e qual as aranhas.

Noite Faísca Mcqueen
Seja na cama dele ou na nossa tem que haver sempre um carro ao lado, ou dois, ou três, ou muiiiiitos!!!! Difícil é não acordar em cima de algum veículo.

Noite Monstro das Bolachas
Quando ele acorda algumas vezes e é só dizer "dorme" nem é muito mau. Pior é quando abre os olhos, senta-se e diz "mamã, tenho fominha". E nem pode ser uma bolacha maria, têm logo que ser duas, que ele é menino de sustento. Depois disso nem é preciso dizer nada, deita-se e adormece em 3 segundos.

Noite Mickey Mouse
Uiiiiii, são aquelas noites em que ele ainda não adormeceu e fala, fala, fala. E depois aquelas em que ele dorme e fala, fala, fala....a única diferença com o Mickey é mesmo a vozinha mais fofa que o Baby Boy tem em relação ao rato.

Noite Henry, o Monstro Feliz
Quando lhe dá para sonhar alto tanto começa ao choro como a rir-se perdidamente. Às vezes nem sei bem o que fazer, mas ultimamente nem me meto na "conversa" dele. Aposto que sonha com algum monstro (e por isso chora) que depois é comido por um dinossauro (e por isso ri-se).

Noite Bela Adormecida
(esta é mais a minha noite e não a dele)
Noites fantásticas, em que só acordo umas duas vezes para me assegurar que ainda não me levantei ou que não ouvi ninguém a chamar. O Baby Boy dorme profundamente e acorda sozinho e super bem disposto. Pena as Belas Adormecidas serem raras!!!




12 de maio de 2015

Take it easy

E no dia em que completei 30 semanas de gravidez, uma forte dor lombar levou-me ao hospital. Fiquei preocupada, mas depois de vários exames a recomendação foi descanso, nada de esforços e trabalho para esquecer. A dor é muscular (as típicas dor de costas pelas quais muitas grávidas passam) e um colo do útero curto. Passei o fim de semana medicada e em repouso, apenas com duas saídas para arejar. Confesso que andei ali a vaguear entre o preocupada e "o que nos vai acontecer?!". Comecei também a rever mentalmente o que falta, não vá alguma coisa precipitar-se. Afinal ainda tenho muito trabalho pela frente. Esta semana tenho que começar a tratar de tudo!
Felizmente fui novamente avaliada, agora pelo meu obstreta, e está tudo normal para o tempo de gravidez. As dores são normais e vão ser assim até ao fim (OMG!!!), a rapariga - que ainda não tem nome - está ótima e bem ativa, dado o nível de porrada que ela me dá todos os dias com os seus movimentos, e o colo do útero para já não é de preocupar (e para quem está dentro do assunto, está bem fechadinho).
Voltei ao trabalho e a partir daqui recomenda-se uma vida zen, sem stress e de forma tranquila. Para quem já tem um filho que também precisa de muita atenção é complicado gerir o zen/criança de 2 anos. A ajuda dos avós tem sido muito importante, mas ele também precisa dos pais. Vamos tentando equilibrar!
Depois deste episódio arrependo-me de uma coisa. Exercício. Não que fosse a falta dele que resultou nestas dores de costas, mas acredito que quando estamos em forma há mais probabilidades de levar uma gravidez mais tranquila. Umas aulas de hidroginástica, umas idas à natação, caminhadas mais frequentes (não as 3 caminhadas que fiz nestes 7 meses), tudo isso são benefícios para uma grávida.
Agora é andar calma e preparar tudo o que é preciso para daqui a 2 meses receber a Baby Girl.

Slow down mummy!!!!!!

Imagens retiradas do Pinterest

6 de maio de 2015

Wishlist de verão

Depois do fim de semana de Páscoa cheio de sol e calor ficou difícil pensar em roupas quentes, mas o que é certo é que pelo Norte os últimos dias têm sido de chuva e algum frio. Agora as previsões apontam para dias mais solarengos e com as temperaturas a subir. Claro que penso logo em biquinis, mar e gelados. Este ano, os dias de praia não serão tão frequentes, por isso há que aproveitar sempre que possível.
Na minha condição de "engoli uma bola de basquete" é difícil comprar só a pensar nos próximos 2 meses. Gosto mais da ideia de encontrar peças que se adaptem ao meu corpo agora mas que depois também consiga usar. E como tenho reparado que as minhas escolhas têm recaído para os pretos, brancos e azuis escuros, já só quero pensar em muita cor, muito conforto e muita praia e passeios ao ar livre.
Ainda faltam umas semanas para o início do verão, mas as minhas próximas compras já só pendem para peças super leves e frescas.


Cafetã H&M
Clutch e Alpergatas Women'Secret
Chapéu e Vestido Blanco
Fato de banho Primark
Pulseiras Parfois

5 de maio de 2015

Ser mãe também é...

...errar! Eu erro muitas vezes. Estou sempre a tentar melhorar depois do erro. Com ele também aprendo e também cresço como mãe e como pessoa. Rio-me de alguns erros e dava tudo para ter evitado outros.
Hoje tive mais uma lição. Ontem à noite o Baby Boy não queria dormir.....para variar! E é carros e depois tem fominha e agora tem que beber água e depois inventa uma história onde entra sempre o lobo mau e o dinossauro! E lá vou eu com a lenga-lenga do costume "vamos dormir, porque o Pai Natal vai passar cá em casa e se nos portarmos bem depois ele traz presentes (costumo dizer que é só no Natal, mas acho que ontem fiquei-me apenas pelo 'traz presentes')". Tudo muito bem, em 5 minutos estava a dormir. Esta estratégia funciona sempre.
Acordámos e a primeira coisa que ele pede é um presente. Pergunta onde é que o Pai Natal deixou o presente.....e porque ele não passou em nossa casa....e onde está o presente. Expliquei-lhe que o Pai Natal só traz presentes quando tem, que não pode ser sempre. E ele chora, porque se portou bem e quer um presente. E eu a tentar despachar-nos, porque, mais uma vez, estamos super atrasados. De repente ele pára e diz "quero o meu presente imediatamente". Assim, sem tirar nem por. What?!?! Tenho um rufia refilão em casa e nem dei conta?!
Esqueçam lá o Pai Natal e os presentes. É para dormir e ponto final, não se fala mais nisso (só deve fazer birra nas primeira noites!!!!!).