28 de fevereiro de 2013

Linda, a Sara

Esta Sara Sampaio é mesmo linda de morrer. E depois até dá vontade de comprar tudo o que ela tem vestido. Como se nos fosse ficar de igual forma! Humpffff!



Estou desgraçada

Os saldos acabam hoje! Como me disse uma tia minha, está na hora de pensar na próxima coleção! Mas eu recebi dois e-mails da Lanidor e não resisti a gastar os últimos cartuchos  O primeiro e-mail era com peças a 60% de desconto. O segundo era com a novidade de a partir de agora as encomendas poderem ser levantadas em lojas Pick Me (quando antes eram entregues em casa).
Isto de fazer cliques e as coisas acontecerem é para lá de espetacular e muito perigoso também.
Fiquem-me por duas peças (15,99€ cada)!

Para mim

Para o Baby Boy

27 de fevereiro de 2013

E tu, fazes a cama?

Numa conversa entre amigas, cheguei à conclusão que só eu e mais uma fazíamos a cama de manhã. Umas não fazem. Puxam as orelhas, dizem elas! Outras acham que de manhã é muito cedo para fazer a cama. Há ainda quem defenda que os ácaros gostam das camas que são feitas logo pela matina. Há quem faça só no fim de semana ou então quando a empregada vai lá a casa. Para quê fazer a cama de manhã, se quando chego à noite a casa vou desfazê-la?! Já ouvi isto muitas vezes. E tem lógica!
Mas é tão bom chegar a casa e ver as coisas arrumadas. E a cama feita! Até há pouco tempo também era daquelas que muito raramente fazia a cama de manhã. Andava sempre a correr e nunca tinha tempo. Às vezes nem para tomar o pequeno-almoço, que fará para fazer a cama. Surpreendentemente, após ter sido mamã é rara a vez em que (não a cama) as camas não ficam feitas antes de sair de casa. Arejar? Enquanto me visto, maquilho e preparo o Baby Boy elas têm tempo de arejar! Só quando não consigo é que faço ao almoço, porque detesto chegar à noite e ter as coisas desarrumadas. Já basta chegar a casa tarde, ter que colocar água  a ferver para o leite do Baby e arranjar as coisas para o dia seguinte.
E vocês, quando fazem a cama?



"Atropelei" uma adolescente

Estou eu a estacionar em espinha em frente a uma escola secundária. Está um grupo de raparigas crescidas a falar e reparam que eu começo a fazer a manobra para o estacionamento. Acham que se mexeram? Nada!  Nickles. Nem meio milímetro. Ok, o carro não ficaria com o rabo assim tanto de fora, por isso não me importei e lá fui eu avançando devagar, muito devagarinho para também não ficar no meio da rua. Aparece então a popstar lá da escola. De calça vermelha e casaco de pêlo branco. Com os lábios pintados e super morena. Aparece para ir falar com as amigas e coloca-se ainda mais perto do meu carro, que por acaso estava a avançar. Só não via quem não queria! E pimbas. Queixou-se ela da pernoca. Pela cara não a aleijei. Fez-me cara de má até eu ter gesticulado com os lábios: "Não achas que devias estar mais atrás?". A partir daí ela fingiu que nada se passou. E eu também! Mas no caminho pensava que deveria ter ido perguntar se estava bem (que eu vi que estava) e dizer que elas deviam ter atenção. Olhem se eu fosse uma louca e estacionasse à maluca!?...Mas pronto, fico à espera de chegar ao carro e não ter uma biqueirada das botas tigresse!

25 de fevereiro de 2013

Pequenas coisas

Após almoçar em casa entro no carro aquecido por uma manhã ao sol. "Desço" para mais uma tarde de trabalho. Consigo ver o mar e aquele azul. Todos os dias, excepto quando o céu não está cinzento. E poucas vezes penso no privilégio que tenho por conseguir ter aquela vista. E começo a sonhar com as férias, o calor, os biquinis e a água salgada! Mmmmmm.......

22 de fevereiro de 2013

Mãe parva

Foi assim que me senti esta semana enquanto dava a sopa ao Baby Boy. Depois de 10 colheres começou a esfregar os olhos e não quis mais. Decidi deitá-lo e ele adormeceu logo. Quando acordou aqueci a sopa que ele deixou e tentei outra vez. Mas não sei porquê, ao sentá-lo na cadeira da papa apenas apertei-lhe uma das pernas. Ele estava tão bem sentadinho. E era só por um instante. Mas depois tive que ir descascar a pêra e quando o ouço "nhá nhá nhá" vou à sala e vejo-o preso por uma perna a escorregar pela cadeira abaixo.
Que parva que eu sou. Tenho sempre tantos cuidados com tudo e acontece-me isto. Podia ter sido pior. Na altura até me deu para rir. Mas pensando bem na situação tive muita sorte.

Uma breve reflexão sobre o meu desporto de competição

Andebol. Há cerca de 16 anos que me dedico ao andebol. Os primeiros 3 anos num clube da terra, pequenino, sem grandes ambições, onde se juntava um grupo de raparigas. No ano em que ficou sem meios financeiros o grupo acabou e tive a sorte de entrar num outro clube que estava a iniciar! Comecei lá desde o seu início. A estrear. Neste clube pratica-se desporto de competição. Com regras. Muitas regras. Treinos 4 vezes por semana e jogos ao fim de semana. Ainda chegamos a ter treinos de manhã, duas vezes por semana. Em alguns anos também tivemos estágio. Fazíamos praticamente tudo que um atleta profissional faz, com a diferença que não temos salário. Era a mais nova. Comecei a ver os jogos na bancada. A equipa estava repleta de estrelas e eu estava a começar a aprender. Depois lá fui sendo convocada e ficava toda contente por estar no mesmo banco que tantas outras, algumas até já tinham passado pela seleção nacional. Vivi muita coisa. Vitórias. Derrotas. Muitas amizades. Muitas viagens, de camioneta, de carro e de avião. Muitas praxadelas. Lesões. Idas ao hospital. Festas. Deixei de viver muita coisa. Aniversários de familiares. Praxes e jantares académicos. Programas com amigos. Noitadas na adolescência. Fins de semana sem namorar. Os anos foram passando. As pessoas foram saindo e novas foram entrando. Comecei a ser das mais velhas e com isso veio a experiência. Já era a primeira opção do treinador e jogava a maior parte do tempo. O tempo continuou a passar até que antes de engravidar já tinha estatuto de capitã (umas das capitãs da equipa). Ficava nervosa antes dos jogos, pois sabia que ia ter que entrar para lutar pelo sucesso. A equipa contava comigo. Estava no meu topo.
Quis assinar por mais uma época. O Baby Boy nasceu em Junho e em Setembro já eu estava na pesada  e dolorosa pré-época. Faço 2 treinos por semana e tenho jogos ao fim de semana. Mas agora custa. Pelo cansaço de noites mal dormidas. Por preocupações quando o Baby Boy está doente. Pelo tempo em que não estou a brincar com a minha cria. Pelos fins de semana deixados pendurados porque tenho jogo fora. E isso resulta em mais cansaço. Em rendimento fraco. Pouca resistência. Longe daquilo que já consegui fazer pela equipa. 
Pela primeira vez em muitos anos não fui convocada para um jogo. Não fiquei triste. Fiquei aliviada por poder ficar com o Baby Boy, principalmente agora que ele está constipado. E assim tenho mais tempo para a família e para estar em casa. Mas ficou uma mágoa. Por não ser necessária ao sucesso da equipa. Por sentir que qualquer pessoa me pode substituir. Senti-me ninguém. 
E para não pensar nestas coisas decidi aceitar o desafio da F. e ir fazer uma aula no ginásio onde ela anda. Vai ser a minha estreia nestas andanças de aulas de nádegas e glúteos e coisas do género. Afinal de contas tenho o fim de semana para recuperar. O próximo treino é só para a semana que vem.

20 de fevereiro de 2013

Outra vez o verde

Parece que o verde anda a invadir os meus pensamentos matinais. Deve ser por querer fugir às peças mais escuras e cinzentas. Só não sei quanto tempo isto vai durar. É que eu fiz uma limpeza enorme ao meu guarda-roupa e sobrou pouca coisa!

Casaco Zara
Blusa Primark
Calças H&M
Botas Zara

Não sei como foi possível

E não é que vi estes sapatos ao vivo e fiquei apaixonada?! Sim, os leopardo! Não sei o que me aconteceu, mas estas pequenas criaturas com tachas assolaparam-me. Talvez passe na loja para ver se ainda tem o meu número. Talvez!

Sapatos Stradivarius

Colorir o dia

O tempo anda cinzento. O cansaço é muito. A constipação decidiu instalar-se em mim. A forma mais rápida de combater estas adversidades foi ir buscar a minha gabardina tcharan!
(isto foi ontem)

Calças H&M
Lenço H&M
Gabardina Fórmula Jovem



Acho que tenho um pequeno terrorista lá em casa

O Baby Boy é super fofo. Come muito bem. Ri às gargalhadas. Está sempre alegre. Adora passear. Vibra com tudo o que é música. Está a ficar viciado em televisão. Gosta de estar rodeado de muita gente divertida. Quando não lhe interessa ignora as pessoas. Se pedirmos para vir ao nosso colo ele atira-se logo. É a delícia da família e arredores.
Mas de noite, está a ficar com o péssimo hábito de não gostar de ficar na cama dele por muito tempo e reclamar a ida para a cama dos pais. E logo eu que fiquei babada porque aos 2 meses ele já dormia a noite toda no quarto dele.
Não estou conformada. Quero inverter a situação. Penso em mil e uma coisas que o poderão estar a deixar assim chorão de noite. Dentes? Sestas curtas? Muita agitação à hora de jantar? Toca a arranjar uma rotina digna de um bébé para ele voltar a dormir descansadamente no seu quarto. E já agora os papás terem uma noite de descanso! Mas depois tenho o meu pai a dizer-me que eu também dormia com a minha mãe (ainda ela era solteira). E que é uma fase. O que interessa é o amor que se dá. E sendo assim, eu até sou uma pessoa normal, sem traumas e com uma infância feliz.
Rapidamente fico conformada. Ele é saudável, social, alegre e come muito bem. Vou tomar isto como uma fase e esperar que passe rápido! Muito rápido! Até porque ele fica um amor deitado na sua caminha!

16 de fevereiro de 2013

Preto e branco

Uma saída a dois sabe sempre bem. É verdade que 80% do tema da conversa é o Baby Boy, mas o que interessa aqui é passarmos tempo um com o outro. O jantar foi muito bom, mas que delcioso arroz de marisco. Senti-me a alargar por todos os lados de tanto comer.
Depois decidimos ir até a uma badalada discoteca/bar da cidade para nos sentarmos um pouco na conversa até a noite começar e depois dar um pezinho de dança.
Desilusão n.º 1, só podíamos estar na parte de baixo porque no piso 1 havia uma festa privada.
Desilusão n.º 2, a parte de baixo (com os bares e pista de dança), para além de ainda estar vazia (é normal) não tinha um único sítio onde nos sentarmos, tinha luz a mais, ar condicionado no máximo (nem tirámos os casaquinhos) e o chão deploravelmente sujo. Um nojo mesmo. Apenas passeavam por lá os funcionários.
Que tiro ao lado que demos. Acho que tão cedo não voltamos lá. Há sempre outras alternativas boas pelo Porto, por isso não é o fim do mundo.
Para esta noite a dois, não resisti a comprar uns calções de lantejoulas. Foi a pechincha da Stradivarius (3,99€). Finalmente estreei as sandálias que comprei também nos saldos deste ano. E lá fui, toda sirigaita (como diria a minha avó)!


Blusa Primark
Calções Stradivarius
Meias Calzedonia
Sandálias Zara


15 de fevereiro de 2013

Liebster Award

O Mas que Supimpa foi nomeado para o Liebster Award, que tem como objectivo divulgar os blogs mais recentes ou com menos seguidores, através do blog La Joie de Vivre!. Muito obrigada Cláudia!

Regras:
- Fazeres uma lista com 11 coisas sobre ti;
- Responderes às 11 perguntas que te atribuí;
- Nomeares 11 bloggers com menos de 200 seguidores, colocar o link dos seus blogs no post onde vais escrever tudo isto e avisá-los que foram nomeados;
- Fazeres 11 perguntas aos bloggers que nomeaste para o prémio.

E é isso que vou agora fazer.
Então aqui vai aquilo que escrevi!



11 coisas sobre mim

1. O nome que está por detrás de Supimpona é Joana.

2. Adoro passear à beira-mar.

3. Delicio-me com croissants mal cozidos.

4. Prefiro um serão em casa com os amigos do que uma saída à noite para o barulho e a confusão (discotecas só muito de vez em quando).

5. Não podia pedir melhor, tenho um marido fantástico (acima de fantástico só quando ele me oferecer um Fiat 500 ou um Mini Countryman).

6. Estou a aprender a ser mãe. Espero ser uma mãe 5 estrelas!

7. Adoro desporto. Depois de algumas incursões pela natação, vela, hipismo e futsal, há 16 anos que me dedico ao andebol. Também já experimentei surf e dou umas voltas de bicicleta.

8. Detesto ter que me desmaquilhar e fazer o ritual de limpeza da pele todas as noites (só o faço porque não consigo dormir com base e rímel e também porque a pele agradece).

9. Quando for grande quero ter uma casinha de férias em frente à praia. Pode ser pequenina.

10. Tenho uns pais espetaculares e dois irmãos gémeos muito divertidos.

11. Tenho imensas rugas de expressão nos olhos de tanto me rir.



11 questões colocadas pela Cláudia, do blog La Joie de Vivre!

Se pudesses, por um dia, ser outra pessoa, quem serias?
- Ando às voltas com esta questão. Não sei se quereria ser outra pessoa. Sem referir um nome em concreto, talvez gostasse de ser uma jovem estilista e talentosa a viver em Nova Iorque com o marido e os seus 2 filhos.

Qual é o teu filme preferido de todos os tempos?
- Mamma Mia. Adorei ver o filme com um grupo de amigas 15 dias antes do meu casamento.

Porque quiseste ter um blog?
- O meu primeiro diário foi-me oferecido pelo meu pai (talvez ele já não se lembre, mas eu até sei qual foi a papelaria, que ainda existe). Escrevia praticamente todos os dias e adorava voltar atrás e reler coisas passadas. Criei o Mas que Supimpa para continuar o diário do meu dia-a-dia, apesar de nem sempre conseguir fazê-lo. E às vezes volto atrás nos posts para recordar alguns momentos.

O que gostas de ler num blog?
- As experiências diárias das outras pessoas em assuntos como moda, decoração, viagens, filhos e coisas banais. 

Define-te numa palavra.
- Alegre.

Qual é a tua maior ambição a nível pessoal?
- Construir uma família grande e feliz.

Estás a estudar (o quê?) ou trabalhas (em que área)?
- Trabalho na área de Geografia (mas não sou professora, que é o que me perguntam sempre). 

Indica 3 coisas que te façam verdadeiramente feliz.
Caminhadas com o maridão na marginal.
O sorriso do Baby Boy.
As festas populares.

Tens algum sinal ou marca física que te identifique? Se sim, qual?
- Mmmmm, sou muito branquelas!

Qual foi a maior ‘loucura’ que já fizeste?
- Ter um filho. É todos os dias uma aventura, das boas!

Acreditas no destino?
- Acredito. A minha história de amor foi obra do destino.



11 blogs com menos de 200 seguidores




11 perguntas para os blogs nomeados por mim

1. O que te motivou a criar o blog?

2. Quais os blogs de leitura diária?

3. O que é para ti um dia fantástico?

4. Quando vais de férias o que não pode faltar na tua bagagem?

5. Qual a tua cidade preferida?

6. Preferes o campo, a praia ou a montanha?

7. Tens alguma peça de roupa favorita?

8. Baton, sim ou não?

9. O que gostas de fazer no teu tempo livre?

10. Tens algum ídolo? Quem?

11. Se ganhasses o Euromilhões (um valor daqueles bem jeitosos) qual seria a primeira coisa que farias?


E pronto, espero que tenham gostado e que gostem de fazer o mesmo!

Bling Bling, coraçõezinhos

Mais um S. Valentim! Já lá vai o tempo de adolescentes em que esta data era um marco. Quase como o dia em que fazíamos anos de namoro! Mas com o passar dos anos tornou-se apenas mais um dia. Nada de grandes presentes, nada de jantares fora! Isso fica para outros dias do ano. Basicamente, não somos grandes entusiastas deste dia, mas também não o deixamos passar totalmente em branco. Ficamos-nos antes por um pequeno gesto ou miminho! 
E os miminhos são quase sempre....DOCES. Como se pode ver, o meu estava muito bom. E o vosso?!







13 de fevereiro de 2013

A minha hora de almoço

Desde que fui mãe e comecei a trabalhar, a hora de almoço dá para muita coisa! Como tenho a sorte de morar a 4 minutos de casa (de carro), vou sempre lá almoçar. E é com 1h30 que tenho ao dispor que me ponho a caminho, aqueço o almoço, almoço e faço outras coisas mais. Faço as camas quando não consigo fazer de manhã. Arrumo alguma roupa que tenha ficado pendurada na cadeira do quarto. Coloco os biberões a esterilizar (que estão passados por água na banca da cozinha à espera da sua vez). Preparo o saco de desporto nos dias em que tenho treino. Coloco roupa a lavar. Estendo roupa. Tiro roupa do estendal. Dou um jeito nisto ou naquilo. 
Há sempre coisas para fazer e assim o fim de semana fica mais leve de limpezas e coisas domésticas. Às vezes é um bocado cansativo, mas eu prefiro assim. Muito de vez em quando também não me apetece fazer nada e se der até no sofá almoço. Ou então em dias solarengos e quando não há jantar do dia anterior para aquecer, eu e o maridão combinamos e almoçamos fora. Andamos a combinar fazer isto uma vez por mês. É sempre bom variar de vez em quando.
E hoje ainda houve tempo para tirar uma foto às minhas botas adoradas, que só posso usar em dias como hoje, em que não chove.

Botas Zara
Calças H&M
Camisola Mango
Blusa Primark
Tapete novo IKEA

Pezinhos de sapo

Ontem foi dia de trabalho e depois treino à noite, o que quer dizer que o tempo com o Baby Boy passou muito rápido. No meio de um lanche com amigas e o maridão (belo lanche misto da Padaria Ribeiro) ainda houve um tempinho para vos mostrar os pezinhos do nosso sapinho. O resto do fato, nem acredito que não tirei nenhuma foto de jeito. Foi isso e os confetes, que ficaram no carro até ontem à noite!

Pijama / máscara H&M
Manta Vertbaudet

Ainda sobre o lanche de ontem, fiquei surpreendida quando depois do Baby Boy fazer um valente de um presente na fralda me deparei com os wc's da Padaria Ribeiro sem muda fraldas!!!!!!!!!!! O empregado, gentilmente, encaminhou-nos para os vestiários dos funcionários onde tinha apenas umas escadas, uma cadeira e....o chão, que foi onde tivemos que trocar a fralda. Não se admite!

11 de fevereiro de 2013

O Carnaval é só amanhã...

...mas desde 6ªf que se veem imensas máscaras a passear por toda a cidade. Há máscaras muito engraçadas para pequenotes e outras que nunca vão deixar de aparecer em força (como as princesas e os homens-aranha). Até a minha sobrinha de 6 anos este ano não foi à princesa. Mascarou-se de Rapunzel. Mas, com uma coroa! É uma Rapunzel-Princesa!
Já que fomos para a frente com a ideia de mascarar o Baby Boy, no Domingo foi dia de se transformar em sapinho! É verdade, que originalidade! Ele aos 3 meses já era um sapinho lindo (ora vejam aqui!), mas como o pijama da H&M disponível para o tamanho dele também era um sapinho e bastante em conta (5€), lá teve que ser! Mas desta vez tem pezinhos à sapo e tudo (fica para 3ªf). Para quem ficou com expectativas altas sobre a máscara, desculpem lá! Aqui para a mummy ele estava um máximo!
Para já fica uma preview do que vai ser na 3ªf de Carnaval. E se não chover, o Baby Boy vai ter direito a confetes e tudo.

Pijama / máscara H&M
Casaco Knot


8 de fevereiro de 2013

A máscara de Carnaval

Pensei e pensei sobre o assunto: mascarar ou não mascarar o Baby Boy este Carnaval?! Por um lado acho piada, por outro ele ainda só vai para o seu 8º mês de vida e não vai perceber o que é isto do Carnaval!!! Mas fiquei sempre com este pensamento na cabeça! Ao passar por uma loja de criança com várias fantasias decidi entrar e ver preços! Um smurf custava 25€ e um pato donald (lindo, lindo, lindo) subia para 50€. Como eu acho que são preços elevados para roupa que se usa num dia, ainda para mais para um bébé que nem vai perceber porque lhe estão a colocar uma roupa diferente do habitual, desisti da ideia. Mas o pensamento continuou na minha cabeça. Lembrei-me que vi uns bodies de manga comprida na H&M a imitar o super-homem e o batman. Fui lá! O preço já era mais baixo, 9,95€. Com uns collants resolvia o assunto e o body dava para vestir por baixo da roupa. Menos mal! E estou a virar-me para vir embora com um super homem e deparo-me com um cabide atafulhado de roupa em saldos. Já que ali estava, não custava dar uma olhadela. E não é que encontrei um babygrow por 5€ que também serve de máscara de Carnaval???!!!! 
Esperem pelo fim de semana para ver como ele ficou. Eu também estou curiosa!

6 de fevereiro de 2013

Alimentação esquematizada

Agora que o Baby Boy está aos poucos a entrar nos moldes alimentares da família, temos sido bombardeados com uma série de informação. O pediatra diz que o Baby vai  fazer mais uma refeição por dia e nós, sim senhor doutor. O pediatra diz que ele já pode começar com a fruta e nós, sim senhor doutor. O pediatra diz que aos 8 meses o Baby pode iniciar o iogurte e nós, sim senhor doutor. Tantos alimentos novos que o nosso sapinho vai começar a descobrir. Mas depois chegamos a casa, metemos mãos à obra e surgem algumas dúvidas. Quantas peças de fruta por dia podemos dar? O iogurte é para substituir alguma refeição (como por exemplo a papa) ou é para dar como lanche da manhã? Depois ainda há a opinião das avós, que tomam conta do Baby durante o dia. Uma acha que é melhor assim, outra acha que é melhor assado.
STOP.
Depois de ver sites, ver livros sobre o assunto, ler e reler o papel com algumas diretrizes do pediatra e conhecendo a rotina diária do nosso filho, os papás decidiram fazer um plano alimentar semanal para o Baby Boy. Assim sabemos os horários das refeições (que não têm que ser rígidos como no plano mas dão uma orientação). Sabemos que estamos a diversificar a alimentação. Sabemos quando introduzimos um novo alimento e respetivo período de adaptação. E as avós que não reclamem. É assim que os papás querem por isso é assim que tem que ser!
Mas como somos novatos nisto, vamos fazer uma experiência e se virmos que está a dar resultados positivos seguimos em frente com a nossa teoria! Ainda estamos na fase de testes e até os pratos são muito básicos. Mas à medida que o Baby vá descobrindo novos alimentos, depois podemos pedir ao chef lá de casa para fazer umas refeições catitas para o pequenote.

Que chatice

Baby Boy "chama" pelos papás. E lá vou eu ver se é só falta de chupeta ou se é mesmo hora de despertar. Quando chegou ao quarto do Baby, está ele com os olhinhos bem abertos e um sorriso na cara. Como o despertador do meu telemóvel ainda não tinha tocado fui ver que horas eram: 7h10. Está na hora de começar a preparar as coisas para a descolagem de casa. Pego no Baby e levo para o nosso quarto. Ligo a tv no Panda. Vou para a casa de banho arranjar-me quando o maridão reclama: "Ainda são 6h45!!!!!!". Hein?! Fui verificar novamente e no ecrã do meu telemóvel eram 7h33 de 1 de Janeiro de 2011. Deitei-me mais um bocado mesmo assim, já com a base e o corretor de olheiras no sítio. O Baby é que não quis mais dormir. Ficou entretido a a fazer zapping.
Conclusão: sempre que o telemóvel se atirar para o chão e sair a bateria, mesmo que depois de o ligar ele não peça para acertar hora e data, é melhor confirmar!

4 de fevereiro de 2013

Não se admite...

...que um senhor chegue ao bar, peça uma bola de berlim (das melhores bolas de berlim com creme que eu já comi) e tire o creme todo (TODO), porque engorda e segundo ele já não se fazem cremes como antigamente! Fiquei a babar por aquele monte de creme amarelo a ir direitinho para o caixote! Como me apetecia ter lata para lhe pedir aquele guardanapo de ouro.

Rotinas, para que vos quero

Ainda estava eu grávida e já pensávamos como seria a rotina do nosso bebé. Mas assim que ele nasceu, nada do que estava "planeado" aconteceu. Era a desorganização total. Só tinha a certeza de uma coisa: as noites nunca mais voltaram a ser as mesmas!
Em Agosto do ano passado, tinha o Baby Boy 2 meses, encontrei numa livraria o Livro do Bebé Feliz, de Gina Ford (uma enfermeira bastante experiente). Ela defende que todos os bebés devem ter uma rotina e só assim eles e os pais serão felizes. Agarrei-me ao livro e fui lendo e relendo. A senhora tem ali uma rotina mais rígida que os meus treinos! E eu pensava que os meus treinos eram exigentes.
Não concordando com tudo o que lá vem escrito, o livro veio relembrar-me de que é bom os bebés terem uma rotina. E assim começámos a tentar ter uma, à nossa maneira. Nem sempre é possível, pois com os horários dos meus treinos e as atividades desportivas que o maridão também tem, quase que nos sobra um dia da semana para "estarmos em família e por nossa casa". Vai-me valendo o horário reduzido que me permite curtir o meu filho a partir das 16h. Ao fim de semana, com sorte, temos o Domingo à tarde só para os três.
Ontem não foi exceção. Com um sol espetacular, arranjámos tudo o que era necessário para passar a tarde no passeio, mesmo até ao pôr-do-sol. E foi também ontem que o Baby Boy começou com 2 refeições. Açorda de peixe ao almoço e sopa de legumes ao jantar. Pelo meio aviou uma papinha e ainda uma maçã com uma bolacha maria. Começamos agora uma adaptação a um outro esquema alimentar!
O que é certo é que depois da sopa o Baby Boy adormeceu (21h) e não havia jeito de acordar. Nós fizemos-lhe a vontade e às 23h, muito devagarinho, vestimos-lhe o pijama, demos o leiteinho e mudamos-lhe a fralda. E ele sempre a dormir! Porreiro pá, tu queres ver que ele vai começar a deitar-se assim cedo?!
5h30 da matina e Baby Boy chama pelos papás "abuuuu, abuuuu, abuuuu". Lá vou eu a pensar "é só procurar a chupeta e ele volta ao seu sono". Nada disso. Baby Boy completamente atravessado na cama, a dar com os pés nas grades e com um sorriso de orelha a orelha! Baby, helloooooo, não são horas para brincadeiras! O cansaço era tanto que não pensei duas vezes. Meti o Baby entre nós e lá ficou na nossa cama até de manhã. Não descansou enquanto não ocupou metade da cama, com a cabeça para o lado do pai e os pés (que mexeram muito naquelas horas) para o lado da mãe.
Lá se foi a rotina. Lá se foi a minha teoria de não levar os filhos para a cama dos pais!

No final do passeio de Domingo.

1 de fevereiro de 2013

Era uma vez...

Desde que o Baby Boy nasceu apeteceu-nos ler-lhe contos infantis. Mas talvez porque o primeiro mês foi super-hiper-mega desgastante e eu andava tipo zombie, acho que foi só por volta dos 2/3 meses que antes de o deitarmos reservamos uns minutos para a hora do conto. E como ele adora. São as cores, o virar a página, a entoação das falas! Ao início apenas os olhos reagiam. Agora, com os seus 7 meses e meio já manda uns "bitaites", dá gritinhos de alegria e estende as mãos para pegar no livro. Quando não consegue levanta os pés, na tentativa de chegar mais alto! 
Só acho é que não fomos logo para livros para bebés, mas isso é porque mal pusemos a vista em cima a um livro cheio de histórias conhecidas em versão resumo, não pensamos duas vezes. Depois lá encontramos o Rato Renato e o Tété, que não têm ogres e lobos maus.
Agora vou entrar na fase de procura de livros para bebés, mas que tenham muita cor e uma história! Porque é a história que tem graça. Aqueles livros que ensinam as cores e os números e outras coisas mais são giros para durante o dia. E acho que ele ainda não está nessa fase, digo eu, recém-mamã. Mas à noite nós gostamos é de uma história para adormecer. Ou pelo menos para ele saber que a seguir vai dormir, porque até agora nunca adormeceu durante a leitura!
Alguém tem dicas?